quarta-feira, 26 de maio de 2010

Iron Man regressa ao Cinema


Praticamente dois anos depois do primeiro filme, eis que Iron Man regressa às salas de cinema, novamente interpretado por Robert Downey Jr., mas desta vez na companhia de Mickey Rourke e Sam Rockwell, que interpretam os vilões de serviço, e Scarlet Johansson, na sua primeira aparição como a super-heroina e Agente da SHIELD, Natasha Romanoff, a Viúva Negra.
Depois do sucesso, comercial e crítico, do primeiro filme, que conciliava a acção e os efeitos especiais que se esperam de um block buster de Verão, com um humor que tem faltado a outras adaptações da Marvel, as expectativas para esta sequela eram grandes. Os excelentes números de bilheteira confirmam a expectiva do estúdio e a crítica também tem sido generosa mas, pessoalmente, acho que falta a este filme a frescura do primeiro, apesar de os vilões de serviço, Mickey Rourke como Ivan Vanko, um cientista russo que vai enfrentar Tonny Stark como Whiplash, e Sam Rockwell como o milionário e rival de Stark, Justin Hammer, darem muito boa conta do recado.
O carisma de Robert Downey Jr. continua enorme, embora sem o efeito surpresa do primeiro filme e o elo mais fraco do filme em termos de actores é mesmo Scarlett Johansson, cujo papel como Viúva Negra é pouco mais do que decorativo (embora há que concordar que a rapariga é mesmo muito decorativa…), apesar de uma boa cena de acção. Mas a sensação que dá é que a preocupação em ir estabelecendo as pistas para o futuro filme dos Vingadores, acaba por atrapalhar um pouco o fluir da narrativa, não obstante Samuel L. Jackson ir muito bem no papel de Nick Fury, agora com um papel bastante maior do que no primeiro filme, em que aparecia apenas na cena extra no final da ficha técnica.
Ou seja, ao contrário do primeiro, este é um filme feito a pensar mais nos fãs da Marvel, do que no grande público. Há a preocupação de gerir o universo Marvel no cinema de uma forma coerente, com personagens como Nick Fury e a Viúva Negra a funcionarem como elemento de ligação entre diferentes filmes, num processo que irá culminar com o filme dos Vingadores. Por enquanto, as referências e as piscadelas de olho aos fãs da Marvel, são várias, com destaque para as alusões ao Capitão América., que vai chegar ao cinema em 2011. Apesar do cuidado com os fãs, não me parece que o grande público, com um conhecimento mais do superficial dos heróis da Marvel, saia defraudado, pois o humor continua presente e as cenas de acção, com destaque para o combate épico de Iron Man e Man Machine contra dezenas de robots teleguiados por Ivan Vanko, estão espectaculares.

Para terminar, resta-me dar um conselho aos fãs da Marvel. Não abandonem a sala mal o filme acaba e fiquem até ao fim da longa ficha técnica, pois só assim poderão ver a cena final, em que é aberto o caminho para o filme do Poderoso Thor, o próximo super-herói da Marvel a chegar ao grande ecrã.
(“Iron Man 2”, de John Favreau, com Robert Downey Jr., Mickey Rourke e Scarlett Johansson, Marvel Studios/ Paramount, em exibição em Coimbra nos cinemas Lusomundo Dolce Vita e Lusomundo Coimbra Fórum)
Versão integral do texto publicado no Diário As Beiras de 22/05/2010

3 comentários:

o gato bluum disse...

Caro João, reparei que não mencionou por um momento o nome da Gwyneth Paltrow no seu post. O que é injusto para todos os fans da Gwyneth. O filme apenas vale pela actuação do Robert Downey Jr., Sam Rockwell e da Gwyneth (miau, só de escrever o nome dela até me dá um arrepio erótico pela pelo). Fui um dos que fugiu da sala no final e não viu a ficha técnica do filme

JML disse...

É verdade, caro Bluum. Nao foi esquecimento... Com o perdão dos fãs da senhora, é uma actriz que não suporto, embora lhe reconheça talento (acontece-me o mesmo com a Merryl Streep). apesar de ser muito pior actriz, a Scarlett faz muito mais o meu género, a Gwyneth é daquele tipo de louras deslavadas que na melhor das hipótees, me deixa indiferente.
Embora reconheça que vai bem, embora não tão bem como o Robert Downey Jr. Já o Sam Rockwell, achei-o demasiado caricatural.

Miguel Antunes disse...

Boas João.

Gostei da crítica que fizeste ao filme. A ver se o vejo brevemente porque gostei do primeiro.

Grande abraço.