segunda-feira, 16 de novembro de 2009

SILVERFIN - A juventude de James Bond



Apesar da crise, que tem levado a uma grande diminuição na quantidade de títulos publicados, o mercado editorial da Banda Desenhada ainda nos consegue proporcionar algumas surpresas. É o caso da Asadelta, (uma “imprint” da Editora Fio da Palavra, a avaliar pela ficha técnica do livro) que se estreia na edição de BD com este “Silverfin”, a adaptação em BD da primeira aventura do jovem James Bond.
De Sherlock Holmes até Indiana Jones, passando por Blueberry ou Spirou, não faltam as personagens de ficção cujo passado é explorado em séries paralelas que, ao mesmo tempo que procuram na infância ou adolescência dos heróis a motivação para o seu comportamento futuro, capitalizam financeiramente na vontade dos fãs em conhecerem melhor os períodos da vida dos seus heróis que os seus criadores originais não tiveram tempo, ou vontade, de explorar.
Embora os romances de Higson não sejam a primeira tentativa dos herdeiros de Fleming de explorar a juventude de James Bond (já tinha havido um romance e uma série de televisão nos anos 90, protagonizada por um sobrinho de James Bond), são sem dúvida a mais conseguida, tendo já vendido todos juntos, mais de 5 milhões de livros
“Silverfin” adapta o romance homónimo, publicado em 2005, que será o primeiro de uma série de cinco romances, em que Charlie Higson explora a adolescência do espião criado por Ian Fleming, desde os 13 anos, como aluno interno em Eton, tendo como ponto de partida as várias pistas deixadas por Fleming nos romances e contos que escreveu. Embora o cinema tenha transformado Bond numa personagem sem idade, cujas aventuras se passam num eterno presente, Higson baseia-se na cronologia criada por Fleming nos romances originais e situa a acção de “Silverfin” em 1933.
Ao contrário do que geralmente acontece, os responsáveis pela adaptação são os mesmos que trabalharam no romance original, pois o desenhador Kev Walker, que assina a adaptação conjuntamente com Higson, já tinha assinado as capas e as ilustrações dos 5 romances da série, o que explica o resultado bastante consistente, a que não será alheia a paginação generosa, que permitiu desenvolver visualmente algumas sequências, mesmo que Higson se queixe numa entrevista que, : “teria sido agradável que a Banda Desenhada tivesse ainda mais páginas, para podermos desenvolver em profundidade alguns aspectos do livro, mas não era economicamente viável”.
Mas a verdade é que a adaptação está bem conseguida e lê-se muito bem, bastando a espectacular sequência inicial para perceber que Kev Walker, um veterano dos comics ingleses e desenhador das duas últimas mini-séries de “Marvel Zombies”, sabe muito bem como contar uma história em Banda Desenhada.



Claro que aqueles que esperavam que o jovem Bond vivesse na adolescência aventuras semelhantes as que vive em adulto, vão ficar desiludidos, pois “Silverfin” é mais uma aventura de detectives juvenil, na linha dos livros dos “Cinco” de Enid Blyton, embora com um toque de fantástico e uma violência que não encontramos nos livros de Blyton, onde era pouco provável aparecerem personagens devorados por centenas de enguias geneticamente alteradas… Ainda assim, não faltam as piscadelas de olho aos fãs de Bond, desde o número utilizado por Bond na prova do triatlo (007, claro!), até ao nome do cavalo de Wilder Lawless, (Martini, como a bebida favorita de Bond em adulto) uma adolescente que cumpre aqui a função de Bond girl, mesmo que o jovem Bond não tenha ainda despertado para o sexo.
Parabéns à Asadelta por esta iniciativa inesperada e que revela um sentido de timing infelizmente cada vez menos habitual na edição nacional de BD, pois “Silverfin”, que foi publicado em Inglaterra em 2008, sai em Portugal ao mesmo tempo que em França e uns bons seis meses antes da edição americana, anunciada para Março de 2010.
(“Silverfin: As Extraordinárias Aventuras do jovem James Bond”, de Charlie Higson e Kev Walker, Asadelta, 162 pags, 15 €)

Texto publicado originalmente no Diário As Beiras de 14/11/2009

1 comentário:

Juan disse...

Ola! Son fan e coleccionista de todo o relacionado con James Bond. Algen pode axudarme? A parte disto, publicouse algo mais de Bond en banda desenhada ou en libro? Un saudo dende Galiza-Espanha. crabkeydrno@gmail.com
http://losarchivosdestrangways.blogspot.com/