sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Schuiten e Peeters -Outubro em Portugal



Este mês de Outubro, Schuiten e Peeters, a dupla por detrás da série "As Cidades Obscuras" vai estar presente em força no nosso país. Depois de na última quarta-feira, 13 de Outubro, terem apresentado uma conferência na Central Tejo, no magnífico espaço do Museu da Electricidade (cuja arquitectura não destoaria da Cidade Obscura de Mylos) no âmbito do Congresso de arquitectura "Once Upon a Place: Haunted Houses and imaginary Cities", a dupla regressa a Portugal no fim de semana de 23 e 24 de Outubro, para o Festival de Amadora, onde estará patente uma exposição dedicada ao álbum "A teoria do Grão de Areia", concebida pelos próprios e com cenografia e execução de Yves Marechal e Dominique Briand, da firma Bleu Lumière.
Da exposição, falarei quando a vir, mas a muito concorrida conferência, foi um êxito junto de um público constituído essencialmente por arquitectos (do meio da BD, apenas por lá vi João P. Boléo, Nelson Dona - que colaborou na organização da conferência - Maria José Pereira - a editora de Schuiten em Portugal - e Rui Zink.
Convém ainda referir que esta foi a terceira vez que Schuiten e Peeters apresentam uma das suas conferências-espectáculo no nosso país. A primeira,teve lugar em Outubro de 1997 no Mercado Ferreira Borges, no âmbito do 9º Salão Internacional de BD do Porto, dedicada à vida e obra inventor e cientista Axel Wappendorf. A seguinte e a mais atribulada, teve lugar em Coimbra, um mês depois, no Auditório do Museu da Física da Universidade de Coimbra, no âmbito de um simpósio internacional sobre a série "As Cidades Obscuras" e os estranhos acontecimentos que a perturbaram, já foram suficientemente dissecados no livro "As Cidades Visíveis".

Quase 13 anos depois, seguiu-se, finalmente, a conferência do passado dia 13, intitulada "L'Aventure des Images". A conferência, que fez um percurso da dupla, desde a BD, às exposições e projectos multimédia, passando pela recuperação e dinamização da Maison Autrique, teve a particularidade de apresentar Schuiten a desenhar ao vivo, enquanto falava, num interessante diálogo com os seus trabalhos impressos, projectados noutro ecrã.
Aqui ficam as imagens possíveis (foram tiradas com um telemóvel) do concorrido evento, que terminou com os arquitectos a portarem-se exactamente como os fãs da BD, não deixando sair Schuiten e Peeters sem darem uma sessão de autógrafos...













4 comentários:

Rui Cartaxo disse...

A Confª foi em Fr. ou Ingl?

JML disse...

Em francês, como seria de esperar de dois francófonos

Rui Cartaxo disse...

Calculei que sim. Houve tradução simultânea? Os arquitetos portugueses percebem francês? Fantástico!

JML disse...

Se não percebem, disfarçam bem! Pelo menos, riram-se nos momentos certos...